contato@aguadoscanyons.com.br
(48) 3532 1293
2ª Via da Fatura


Atuação


TRATAMENTO DO ESGOTO


O esgoto doméstico é composto por toda a água e resíduos que ela carrega pelos encanamentos de casas, escritórios e estabelecimentos comerciais.

 

Ou seja, pode-se dizer que é todo o lixo que produzimos utilizando a água, a que desce por todas as pias e vasos sanitários, além do chuveiro e ralos espalhados pela casa. A água da chuva que corre pelas calçadas e sarjetas também se misturam nas redes de esgoto.

 

O esgoto é formado, basicamente de 99,9 % de água, 0,1% de sólidos e inúmeros organismos vivos, tais como bactérias, vírus, vermes e protozoários, os quais são liberados junto com os dejetos humanos. A decomposição do esgoto é um processo que demanda vários dias e, portanto, um processo relativamente caro.

 

O tratamento do esgoto doméstico é muito importante para a preservação da saúde, pois os micro-organismos e vírus presentes no esgoto contaminam a água e principalmente o solo próximo as residências, que podem causar inúmeras doenças que afetam pessoas de todas as idades, mas as crianças são as mais prejudicadas, esta doenças são: poliomielite, diarréia por vírus, ancilostomíase (amarelão), ascaridíase (lombriga), teníase, cisticercose, filariose (elefantíase), esquistossomose, febre tifóide, febre paratifóide, cólera, etc. 

 

O esgoto também pode contaminar mananciais e locais que servem como fonte de água potável para a população. Os mais prejudicados são os peixes, espécies inteiras podem ser extintas do local onde o esgoto doméstico é jogado. Além deles, as vegetações aquáticas e ribeirinhas podem acabar morrendo.

 

O tratamento do esgoto é feito em  Estações de Tratamento de Esgoto (ETE). Esses locais conseguem, através de processos químicos e biológicos de decomposição, impostos pelo padrão de saúde da Resolução CONAMA nº 357/2005, tratar o esgoto para que ele possa ser liberado na natureza sem causar riscos ao meio ambiente e a saúde humana.


A estação de tratamento do SAMAE Água dos Canyons está localizada no bairro 1º de Maio e entrou em funcionamento em Dezembro de 2016.

 

A obra contempla uma estação de tratamento de efluentes sanitários, 4 estações elevatórias, 8.000m de rede coletora de esgoto, e 320  ligações domiciliares. Esta primeira etapa da obra contou com o investimento da Funasa, sob o nº PAC 464/09, foi de R$ 4.696 milhões oriundos do Programa de Aceleração de Crescimento,  sendo R$ 150 mil contrapartida do município totalizando R$ 4.8 milhões.

 

Está em andamento outro convênio PAC 0425/14 para ampliação da Rede Coletora de Esgoto no valor de R$ 5,4 milhões. Com a conclusão desta obra para o ano de 2017, o sistema contará com 8 elevatória e aproximadamente 28.000m de rede coletora e o total de 1840 ligações. Desta forma o município ficará com 98% de ligações domiciliares urbanas concluídas. Além do centro, os Bairros Manoel leão, Bairro Luiz Benica, Bairro Pé da Serra, Bairro Harmonia e Bairro Parque Avenida serão contemplados com a rede coletora.

 

Atualmente apenas algumas residências estão ligadas a fim de realizar testes de funcionamento tanto da rede coletora como da estação de tratamento. Quando a obra de saneamento estiver concluída você receberá a visita de técnicos da SAMAE orientando quanto a ligação. Serão efetuadas campanhas nos bairros, reuniões comunitárias, entrega de material explicativo para orientá-lo quanto a importância da ligação à rede esgoto, como ela deverá ser feita e custos. A ligação onde existir rede coletora é obrigatória. A legislação federal é a lei 11.445/2007.


Se você ainda tiver alguma dúvida poderá entrar em contato com os técnicos do SAMAE na sede ou pelo telefone ou via site.

ETAPAS DO TRATAMENTO:


Recebimento do esgoto
O esgoto é enviado das estações elevatória por bombas até a estação de tratamento.


Pré-tratamento
Nessa etapa, os efluentes passam pelos processos de gradeamento e desarenação, que têm como objetivo separar as partes sólidas das líquidas. No gradeamento, são utilizadas grades para barrar os sólidos maiores; na desarenação, são removidos a areia pela técnica da sedimentação. Esse procedimento facilita o transporte dos efluentes e evita que grandes sólidos danifiquem o equipamento das próximas fases.


Tratamento primário

Na fase do tratamento primário o efluente passa pela caixa de gordura para retirar os óleos e graxas e segue para o tanque equalizador para homogeneizar o efluente.


Tratamento secundário
Na etapa secundária é que ocorrem os processos biológicos de tratamento. Nessa fase, a matéria orgânica é consumida por microrganismos e passa a apresentar níveis reduzidos de poluição.

A primeira etapa ocorre no Reator Anaeróbio de Fluxo ascendente (RAFA).que é um reator fechado onde o tratamento biológico ocorre por processo anaeróbio, isto é, sem oxigênio. A decomposição da matéria orgânica é feita por microorganismos presentes num manto de lodo. O esgoto entra na parte de baixo do reator e passa pela camada de lodo que atua como um filtro. A eficiência atinge de 65% a 75% e, por isso, é necessário um tratamento complementar que é feito através Tanques de Aeração.

Nos Tanques de Aeração o efluente vindo do RAFA permanece sob agitação e aeração durante 3 horas, depois fica em repouso durante 2 horas para sedimentar. O lodo retorna para o RAFA e o efluente segue para o tratamento terciário.


Tratamento terciário
Tratamento terciário é  última fase, sendo  destinada à remoção de compostos residuais que podem prejudicar a qualidade final do efluente tratado. Nesta etapa ocorre no chamado tanque de contato onde é adicionado cloro para que haja a desinfecção do efluente e eliminação de microorganismos remanescente do tratamento. O efluente então pode ser liberado para o corpo receptor com segurança.


O lodo.
O lodo formado no reator RAFA vai para os leitos de secagem que depois pode ser utilizado como adubo respeitando alguns critérios sanitários que determinam quais cultivares podem receber este tipo de adubo.